Quem Somos

O Laboratório História e Natureza (LabHeN UFRJ) é um grupo de pesquisa vinculado ao Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IH UFRJ), coordenado pelos professores Lise Sedrez e José Augusto Pádua. O LabHeN está aberto a alunos de graduação, pós-graduação, professores e pesquisadores em geral interessados no campo de estudos da História Ambiental.

O LabHeN realiza encontros semanais, as quintas-feiras, observando o calendário acadêmico da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Nossas reuniões propõem discussões e apresentações sobre as muitas relações entre sociedade e natureza, contando com convidados e integrantes do grupo.

Nossa Equipe

José Augusto Pádua – Possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1983), mestrado em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro – IUPERJ (1985), doutorado em Ciência Política pelo IUPERJ (1997) e pós-doutorado em História pela University of Oxford (2007). Atualmente é professor associado do Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde é fundador e um dos coordenadores do Laboratório de História e Natureza.


Lise Sedrez – Professora Associada de História da América no Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro, é fundadora e também coordena o Laboratório História e Natureza. Lise possui graduação em História do Brasil pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1991), mestrado em Estudos de Políticas Ambientais pelo New Jersey Institute of Technology (1998), mestrado e doutorado em História da América Latina pela Stanford University (2005).


Alexia Shellard – Graduada em Geografia e Meio Ambiente pela PUC-Rio e doutorei-me em História Social pela UFRJ com uma tese sobre as transformações sócio-ecológicas no Mato Grosso no final do século XIX e início do XX. Atualmente trabalho para desenvolvimento de coleções bibliográficas universitárias sobre Brasil, América Latina e África lusófona.


Ana Marcela França – Pós-doutoranda CONICET/ CEAR- UNQ, Argentina. Doutora em História pelo Instituto de História-Universidade Federal do Rio de Janeiro (2015), com ênfase em História Ambiental e História da Arte. Possui mestrado em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2009) e especialização em História da Arte e da Arquitetura do Brasil (2005) pela mesma universidade.


Bruno Azambuja Araújo – Bacharel em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Mestre em História Cultural pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Sua pesquisa centra-se desde a História Ambiental da expansão da cidade do Rio de Janeiro no século XIX até a história da agricultura e percepções sobre a natureza na América Latina. Atualmente cursa o doutorado em História Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).


Bruno Buccalon – Doutorando em História pela Universidade de Rice (EUA), é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Associação Escola da Cidade (2017). Estuda história ambiental, cultura visual e patrimônio. Tem experiência com pesquisa e desenvolvimento em instituições de memória, atuando em iniciativas de acesso aberto e humanidades digitais.


Bruno Capilé – Professor no Mestrado em Gestão Integrada do Território na Universidade Vale do Rio Doce, em Governador Valadares. Bruno graduou-se em Biologia, mestrado em História da Ciência (HCTE/UFRJ) e doutorado em História Social pela UFRJ, tem trabalhado com História Ambiental Urbana nas cidades do Rio de Janeiro e Governador Valadares, em especial os rios urbanos. Tem interesse em agência não humana, transformação da paisagem, história da ciência e da cartografia.


Daniel Dutra Coelho Braga –Possui graduação em História (2011), mestrado em História Social (2014) e doutorado em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2019). Realizou estágios doutorais no Centre Alexandre Koyré – Histoire des sciences et des techniques da École des hautes études en sciences sociales (Paris, França) e no Rachel Carson Center for Environment and Society da Ludwig-Maximilians-Universität (Munique, Alemanha). Tem experiência na área de História, com ênfase em História Moderna e Contemporânea e História do Brasil Império, atuando com os seguintes temas: relatos de viagem; expedições científicas; trópicos; monarquia constitucional; colonialismo; escravidão. Atualmente é pós-doutorando no Departamento de História da FFLCH da Universidade de São Paulo (USP).


Débora Bindes – Bacharel em Comunicação Social pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (2016) e graduanda de História pela UNIRIO, possui sua pesquisa de graduação com o tema “O Brasil Colonial sobre a ótica do Ensino de História Ambiental: as narrativas dos livros didáticos e paradidáticos (1999-2018)”. Possui interesse na área de História Ambiental no Brasil Colonial e Ensino de História Ambiental.


Diogo de Carvalho Cabral – completou seu doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde também obteve mestrado e bacharelado, embora em diferentes programas (geografia e história). Nos últimos quinze anos, ele vem trabalhando na história ambiental e na geografia histórica do Brasil, com um foco particular no período pré-industrial.


Filipe Oliveira – Graduado e mestre em História pela Universidade Federal Fluminense. Atualmente, participo como doutorando do Programa de Pós-Graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Dedico-me, especialmente, a desenvolver pesquisas relacionadas ao processo de construção das políticas de proteção à natureza no Brasil e ao papel do periodismo, de intelectuais e práticas editoriais na mobilização ambiental.


Flavio Pereira Telles  – Mestre em Ciência Ambiental pela Universidade Federal Fluminense (UFF), engenheiro florestal formado na Univ. Fed. Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), trabalhou na Fundação Parques e Jardins da Prefeitura do Rio por 33 anos e atualmente é Prof. Convidado do Curso de Pós-Graduação em Arborização Urbana (lato sensu) do Instituto de Florestas da UFRRJ. Suas pesquisas estão ligadas aos benefícios da arborização na atualidade e no passado na Cidade do Rio de Janeiro, onde pesquisa a sua história


Gabriel Paes – doutor em Geografia do Departamento de Geografia e Meio Ambiente, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, sob a orientação da Profa. Dra. Rejan R. Guedes-Bruni. Possui Mestrado em Geografia por esta mesma instituição de ensino (2016) sob orientação do Prof. Dr. Rogério Ribeiro de Oliveira. Além disso, possui bacharelado e licenciatura em Geografia, pelo Departamento de Geografia e Meio Ambiente, da PUC-Rio (2014). 


Gabriel Pereira de Oliveira – Graduação em História pela UFC e mestrado em História pela UFMG, que resultou no livro “A corrida pelo rio: projetos de canais para o rio São Francisco e disputas territoriais no Império brasileiro”. Hoje, faço doutorado em História Social na UFRJ estudando clima e seca na caatinga. Atuo como professor no IFRN e tenho interesse na discussão sobre rios, clima, território, cartografia.


Geórgia Raíssa Ramos Albuquerque – Graduanda em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro do Laboratório de História e Natureza (LabHeN / UFRJ), onde desenvolve monografia sobre a caça de cetáceos no Brasil e atuação dos movimentos ambientais. Atualmente é bolsista de iniciação científica no Museu da Geodiversidade (UFRJ). Tem interesse em História e educação ambiental, História da Ciência, divulgação científica, Arqueologia, Geologia e Paleontologia.


Hana Mariana da Cruz Ribeiro Costa – Doutoranda em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e Mestre em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pelo CPDA/UFRRJ. Estuda as dinâmicas socioambientais nas salinas artificiais da Região dos Lagos Fluminense, com ênfase nos trabalhadores do século XX. É professora da educação básica e curadora da biblioteca John Wirth.


Isabela Kiselar – Graduanda em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e participante do Laboratório de História e Natureza (LabHeN). Tem como áreas de interesse América Latina Contemporânea, Educação Ambiental e estudos sobre Agroecologia e Tecnologias Sociais.


Janaína Di Lourenço Esteves – Graduada em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e Mestranda em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na qual desenvolve pesquisa sobre a Sociedade Vegetariana Brasileira (1913-1930) e o vegetarianismo nos séculos XIX e XX.


João Gabriel Danon Tavares – Pesquisador-Historiador do Projeto “Saber e Saberes” da Faculdade de Geografia da UFRJ, Auxiliar de Pesquisa do Manchetômetro (IESP-UERJ) e professor-licenciando de História do Colégio de Aplicação da UFRJ. Historiador pela UFRJ, Jornalista pela PUC-Rio e pós-graduando em Relações Internacionais pelo IBMEC. Tem experiência em pesquisa de História Ambiental e Relações Internacionais.


Jorge Olea – Graduação e Mestrado em História pela Universidad de Chile, Doutorando em Geografía pela Pontificia Universidad Católica de Chile. Minhas linhas de pesquisa são história ambiental da agricultura em Chile, geografía rural e teoria das interações humanas e natureza. Atualmente, pesquisador do projeto: “Interacciones geográficas-ambientales: Vinculando los sistemas socio ecológicos con la história ambiental. Valle Exploradores, Patagonia occidental, Región de Aysén” e profesor da Geografía Rural na Pontificia Universidad Católica de Valparaíso. 


Letícia Andrade Batista Silva – Mestranda em História das Ciências e da Saúde pelo Programa de Pós Graduação em História das Ciências e da Saúde (PPGHCS) da Casa de Oswaldo Cruz (COC). Bacharel e licencianda em História (IH) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sendo membro do Laboratório de História e Natureza (LabHeN).


Lucas Vinicius Erichsen da Rocha – (Ponta Grossa/PR, 1990). Doutor em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Membro fundador do ‘Centro de Estudos dos Animais’ (CEA). International Scholar da Society for the History of Technology (SHOT). Membro do Consortium for History of Science, Technology and Medicine no Working Group ‘Aesthetic and Design of Latin American Technology’. Cursa Técnico em Informática no Centro Estadual de Educação Profissional de Ponta Grossa (CEEPPG). Foi doutorando convidado na Freie-Universität Berlin (FUB) e fellow no Max Planck Institute for the History of Science (MPIWG – Berlin). Editor-chefe do Mesonpy. Pesquisa história ambiental e da tecnologia (Envirotech history), história dos animais e humanidades digitais


Marina Salgado Pinto – Atualmente faz parte do programa de doutorado em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), tendo obtido seu diploma de mestra em história social pela Universidade de Brasília (2018, UnB) e licenciatura em história pelo Centro Universitário de Brasília (2014, UniCeub). Sua trajetória acadêmica é um esforço para analisar a história da capital brasileira, Brasília, a partir da relação estabelecida entre os habitantes da cidade e o ambiente natural, os agentes não humanos, presentes na região.


Mário Peters – Possui graduação em História e Alemão (2008), mestrado em História (2011) e doutorado em História (2016) pela Gottfried Wilhelm Leibniz Universität Hannover (Alemanha). Fez intercâmbio na Universidade de Coimbra (2009-2010). Trabalhou como professor assistente no Departamento de História da Universidade de Hannover, na seção de História da América Latina e do Caribe (2011-2018). Atualmente é bolsista de pós-doutorado da Fundação Alexander von Humboldt e professor visitante no Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ.


Matthew P. Johnson – Doutorando em história na Universidade de Georgetown, em Washington D.C. Estuda história ambiental moderna com enfoques em energia e água em América Latina e o Caribe. Participante do Laboratório de História e Natureza na UFRJ durante o ano acadêmico 2019 enquanto esteve em Brasil com uma Bolsa de Fulbright para realizar a pesquisa de sua tese, que trata das hidrelétricas do governo militar brasileiro e os impactos socioambientais delas.


Millena Farias – Doutoranda no Programa de Pós-graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGHIS-UFRJ) (2019-2023). Mestre em História pelo Programa de Pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense (PPGH-UFF) (2015). Licenciada em História pela UFF (2013). Atuou como pesquisadora colaboradora do Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST – MCTIC), entre 2015 e 2019, onde desenvolveu pesquisas na área de História da Ciência e da Tecnologia no Brasil (Colônia e Império).


Natasha Augusto Barbosa – Doutoranda em História da Ciência pela FIOCRUZ, mestra em História Social PPGHIS / UFRJ (2020), e graduada em História, IH / UFRJ (2016). Participante do projeto de extensão História Ambiental para Todos e do híbrido coletivo de pesquisa multidisciplinar Occupy Climate Change! coordenado pelo Laboratório de Humanidades Ambientais do Real Instituto de Tecnologia, Estocolmo, Suécia. Interesse em História Ambiental e História Urbana. Principais temas de pesquisa: História Ambiental Urbana; Ambientalismo; Direito à Cidade e História Oral.


Natascha Otoya – Sou participante do Laboratório de História e Natureza desde 2014. Em 2016, concluí o mestrado em História Ambiental na UFRJ. Em 2017, entrei para o programa de doutorado em História Ambiental em Georgetown University (Washington DC). Minha pesquisa se concentra no desenvolvimento da indústria do petróleo no Brasil entre as décadas de 1930 e 1940. Me interessam particularmente as interações humanas com a natureza e em como fatores como ideologia política e conhecimento científico mediaram essas interações. Meus interesses de pesquisa se estendem ao campo da história da ciência, já que a geologia é um elemento central na busca e exploração do petróleo no Brasil.


Paula Fortini – Possui bacharelado e licenciatura em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestranda do Programa de Pós Graduação em História das Ciências e da Saúde (PPGHCS) da Casa de Oswaldo Cruz (COC) – Fiocruz.  Pesquisa a formação do movimento agroecológico no Rio de Janeiro. Tem interesse em história ambiental, história da agricultura, agroecologia, movimento ambientalista, história oral, história da saúde.


Valéria Fernandes – Doutora em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestra em Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e graduada em História pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Defendeu a tese intitulada “La lucha contra la langosta: relações biossociais na América Latina (Argentina, Brasil e Uruguai – 1896-1952)”. Tem interesse em história transnacional, história rural, história da América, processos sociais e ambientais na América Latina, história ambiental e pragas agrícolas.

Wallace Cardoso – Graduando em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente é estagiário na Creche Municipal Quinta do Caju, onde desenvolve atividades pedagógicas em prol da inclusão. Tem interesse em História das Ciências e da Saúde no Brasil, sobretudo, no estado do Rio de Janeiro e em contribuir para uma maior divulgação científica.


Premiações

Menção honrosa de dissertação de mestrado de Natasha Barbosa no prêmio Ana Lugão Rios – PPGHIS/UFRJ, Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ, 2021.

Melhor tese de doutorado de Daniel Dutra Coelho Braga pela Sociedade Brasileira de História da Ciência (SBHC). 2020.

Melhor tese de doutorado de Daniel Dutra Coelho Braga no prêmio Manoel Luiz Salgado Guimarães – PPGHIS/UFRJ, Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ. 2019.

Menção honrosa para tese de Bruno Capilé no Prêmio Professor Afonso Carlos Marques dos Santos, Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. 2018.

Menção honrosa para tese de Bruno Capilé no prêmio Manoel Luiz Salgado Guimarães – PPGHIS/UFRJ, Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ, 2018.

Menção honrosa de dissertação de mestrado de Daniel Dutra Coelho Braga no prêmio Ana Lugão Rios – PPGHIS/UFRJ, Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ.